quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Sobre o Natal

E nesta época em que a maioria das pessoas anda atarefada, os centros comerciais quentinhos estao cheios, as ruas geladas e húmidas estao cravejadas de pessoas numa romaria para encontrar a prenda perfeita ou qualquer prenda para dar a alguém. Muitas pessoas se lamentam da correria das compras e do quebra-cabecas que é organizar uma lista e dos gastos a planear bem. Em muitos lugares no mundo as pessoas fazem créditos para poder pagar esses "luxos" de se poder dar (sobretudo) aos filhos ansiosos por aquela consola do momento ou o smartphone mais in, ou o jogo de computador que todos os amigos estao a jogar, etc. E tudo para um dia (em certos lugares uma noite) para celebrar em familia aquilo que a velha lenda dita que foi o nascimento do menino Jesus num dia frio em 25 de Dezembro.
A verdade é que hoje em dia já (relativamente) poucas pessoas celebram o Natal como nascimento de Jesus. Essa festa popularizou-se a tal ponto que já nao é mais a comemoracao do nascimento mas sim  uma ocasiao para a familia (muitas vezes única vez que se veem no ano) se reunir.
E esta festa tem sofrido grandes mutacoes ao longo da História, a tal ponto que de facto o 25 de Dezembro nao é, na realidade, a data de nascimento do menino Jesus. Nesta altura do ano podemos encontrar em vários jornais e revistas a verdadeira origem dessa data. Posto de maneira simples, essa era uma festa celebrada pelos pagaos (nao-cristaos) que marcava para alguns o solisticio de Inverno, para outros uma festa romana, e por ai adiante. Ora, como haviam muitas festas que calhavam nessa data, as igrejas do ocidente acharam que de modo a outros se "interessarem" pelo cristianismo era conveniente marcar no calendário o 25 como data de nascimento do menino. E ai temos de um modo muito simples como o Natal passou a ser festejado pelos que se dizem ser cristaos. Obviamente esta festa, como disse no inicio, tem sofrido óbvias mudancas: mais uma vez a colher foi espetada no prato do vizinho e ai temos a adopcao da figura mitológica do "pai Natal" (papai Noel no Brasil) dos paises escandinavos/nórdicos; a árvore de Natal também passou a constar do espólio natalino, só para nomear algumas das alteracoes mais conhecidas.

E com isto pergunto: nao é o natal uma grande farsa? Se Jesus nao nasceu no dia 25, se o Pai natal nunca existiu, se as prendas que damos aos nossos próprios filhos sao compradas (em alguns casos) com dinheiro que nao é nosso, se só passamos um dia por ano com nossa familia porque nos outros dias andamos demasiado ocupados com nossas tarefas, nao é isso tudo uma grande mentira?

'E certo que é bonito ver a familia junta: os sorrisos das criancas, o quentinho da lareira; é delicioso comer o bacalhau, o polvo, o perú recheado, os sonhos, as filhoses, as azevias, o bolo rei e rainha. Mas, e o que dizer do resto do ano, e daquelas pessoas que passam fome/necessidade todos os outros dias do ano? Nao andaremos todos a ser enganados pelo consumismo oportunista e por uma mentira enraizada já por muitas centenas de anos na sociedade humana?

Dá que pensar, e esta é uma óptima altura para meditar.
Espero e desejo a todos uns bons momentos com vossas familias, muita felicidade e saúde.


Truth only reveals itself when one gives up all preconceived ideas. ~Shoseki

 

(A verdade apenas se revela quando abandonamos ideias pré-concebidas.)


1 comentário:

Cenourit@ disse...

Estou 100% de acordo com o que escreveste e, depois de andar anos a tentar mudar as coisas por aqui, este foi o ano em que o consegui!

Nem imaginas a Paz que eu sinto! Isto sim é Natal, sem compromissos impostos pelas leis criadas pela sociedade!

Feliz Natal para ti e todos os que amas!

Beijocas***